As soluções da UE para combater as alterações climáticas

07/08/2018

A mitigação das alterações climáticas é uma questão fundamental para o Parlamento Europeu, uma vez que a União Europeia (UE) é o terceiro maior emissor de gases com efeito estufa do mundo depois da China e dos Estados Unidos.

O setor da energia foi responsável por 78% das emissões de gases com efeito de estufa na UE em 2015.

Em 2008, a UE estabeleceu como meta reduzir ditas emissões em 20% em relação aos níveis de 1990, estando no bom caminho: em 2015, a quantidade de emissões de gases com efeito de estufa na UE diminui 22% em comparação com 1990.

 

REDUZIR AS EMISSÕES DE GASES COM EFEITO DE ESTUFA

Em 2014, a UE comprometeu-se, ao abrigo do Acordo de Paris, a reduzir as emissões de gases com efeito de estufa em pelo menos 40% em relação a 1990 até 2030.

Para reduzir as emissões das centrais elétricas e da indústria, a UE pôs em prática o primeiro grande mercado de carbono com o sistema europeu de comércio de emissões (ETS).

Para os outros setores, as reduções serão alcançadas por meio de metas nacionais de emissões, que são calculadas em função do produto interno bruto per capita dos Estados-Membros.

A UE também quer usar a capacidade das florestas para absorber CO2 e combater as alterações climáticas.

Saiba mais sobre as medidas da UE para reduzir as emissões de gases com efeito de estufa.

 

RESPOSTAS AO DESAFIO ENERGÉTICO

A UE também luta contra as alterações climáticas através duma política de energia limpa. O primeiro objetivo é aumentar a quota de energia renovável produzida e a possibilidade dos cidadãos produzirem a sua própria energia limpa.

O segundo objetivo versa sobre a eficiência energética dos edifícios e eletrodomésticos.

Saiba mais sobre como a UE promove energias renováveis e eficiência energética.

 

Fonte: PE