Jardim Botânico do Palácio de Queluz distinguido com Prémio Europa Nostra

16/05/2018

O Jardim Botânico do Palácio Nacional de Queluz, em Sintra, recuperado e reaberto ao público em Junho do ano passado, é um dos 29 distinguidos com o Prémio para o Património Cultural - Europa Nostra, que esta terça-feira foram anunciados pela Comissão Europeia.

Este jardim com cerca de dois mil metros quadrados na propriedade de 16 hectares que rodeia aquele palácio foi integralmente recuperado através de um projeto gerido pela empresa Parques de Sintra - Monte da Lua, que em 2012 iniciou um cuidado trabalho de investigação para reconstituir o figurino do equipamento construído entre 1769 e 1776.

A inauguração ocorreu no dia 5 de Junho de 2017, altura em que foi aberto ao público aquele que, durante quase dois séculos, foi um lugar reservado à realeza e à aristocracia do país.

O júri do Prémio Europa Nostra considerou este, um "projeto bem-sucedido na redescoberta e recuperação de um jardim que se pensava perdido”, e realçou o facto de se ter recorrido a uma “investigação arqueológica e à análise dos fragmentos restantes do jardim e da documentação existente”.

O projeto é um excelente exemplo de colaboração interdisciplinar que envolveu também a comunidade local. A divulgação dos resultados foi forte e possibilitou a conclusão do projeto. Isto irá criar sensibilização quanto aos resultados e garantir a sua sustentabilidade”, realçou também o júri do Prémio Europa Nostra.

A distinção atribuída ao Jardim Botânico do Palácio Nacional de Queluz foi conferida na categoria de Conservação, onde foram premiadas uma dezena de outras intervenções, de Espanha à Sérvia, da Alemanha à Grécia.

 

Fonte: Europa Nostra/Público