Portugal 2020 com balanço positivo no Conselho de Inovação Regional do Algarve

20/11/2018

No passado dia 14 de novembro realizou-se a 3.ª Reunião do Conselho de Inovação Regional do Algarve (CIRA), que debateu o Portugal 2020, e cuja abertura foi presidida pelo secretário de Estado do Desenvolvimento e Coesão, Nelson de Souza.

Para o secretário de Estado, o Portugal 2020 “tem um balanço bastante positivo”, com 77% da verba comprometida e 30% executada, o que coloca Portugal como o país com “o maior nível de execução ao nível europeu, entre os países que têm pacotes financeiros semelhantes, acima de 5 mil milhões de euros”.

“O Algarve dispõe de um programa específico, com taxas de compromisso e de execução na ordem dos 60% e dos 17%, respetivamente, o que coloca a região em linha dos outros programas operacionais regionais do continente”, afirmou o governante.

O CIRA é um órgão consultivo que junta representantes de entidades públicas, associações, empresas e a academia, no âmbito da dinamização da Estratégia Regional para a Especialização Inteligente (RIS3 Algarve).

Nelson de Souza desafiou os participantes a envolverem-se na elaboração da estratégia pós-2020 e a procurarem novas formas de financiamento, para além dos fundos da União Europeia, felicitando a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Algarve pelo trabalho desenvolvido na preparação do Portugal 2030.

Durante a reunião do CIRA, dinamizada pelo Órgão de Acompanhamento das Dinâmicas Regionais da CCDR/Algarve foi aprovada a criação de dois novos grupos de trabalho nos domínios temáticos das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) e das Indústrias Culturais e Criativas (ICC), completando assim o modelo de governança da RIS3 Algarve.

Segundo destacou o presidente da CCDR/Algarve, Francisco Serra, o encontro foi um momento para balanço dos trabalhos, de partilha e reflexão sobre o caminho já percorrido na região no âmbito da preparação do período pós-2020.

No período da tarde, decorreu uma sessão pública, amplamente participada, sobre a implementação da RIS3 Algarve, onde foram partilhados projetos inovadores apoiados pelos Fundos Europeus Estruturais e de Investimento (FEEI) nos domínios do Turismo, Mar, Agroalimentar, Energias Renováveis, Saúde, TIC e Indústrias Culturais e Criativas.

A sessão terminou com as intervenções de Alexandre Almeida, da ANI - Agência Nacional de Inovação, e de António Sampaio Ramos, da AD&C - Agência para o Desenvolvimento e Coesão, que levantaram a “ponta do véu” sobre o futuro dos fundos da União Europeia e as perspetivas de desenvolvimento das políticas públicas de inovação e competitividade, que motivaram o debate entre os participantes.

 

Fonte: Lusa/CCDRAlgarve

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: PO CH