Sabia que os Europeus estão muito preocupados com as Alterações Climáticas?

22/09/2017

Na última sondagem do Eurobarómetro Especial 459 destaca-se que 92 por cento dos cidadãos da União Europeia (UE) consideram as alterações climáticas um problema grave e 74% classificam como um problema "muito grave".

Os dados que resultaram do Eurobarómetro Especial dedicado ao tema das Alterações Climáticas, foram recentemente divulgados pela Comissão Europeia e incidem sobre sobre as perceções europeias, medidas e atitudes de combate às alterações climáticas.

Entra as principais conclusões 92% dos cidadãos da União Europeia (UE) consideram as alterações climáticas um problema grave e 74% classificam como um problema "muito grave".

Cerca de nove em cada dez acreditam que é importante que o governo nacional estabeleça metas para aumentar a percentagem de energia renovável utilizada até 2030 (89%) e apoie a melhoria da eficiência energética até 2030 (88%).

A grande maioria (79%) também concorda que deve ser dado mais apoio financeiro público à transição para energias limpas, mesmo que isso implique reduzir os subsídios para combustíveis fósseis.

Já nos principais resultados relativos a Portugal, mais de oito em cada dez entrevistados consideram as alterações climáticas como um problema “muito grave” (83%, média europeia 74%), apesar de apenas 4% as considerarem como o principal e mais grave problema que o mundo enfrenta (média europeia 12%)

Seis em cada dez entrevistados afirmam ter tomado medidas pessoalmente para combater as alterações climáticas nos últimos seis meses (60%, média europeia 49%). No entanto, quando lhes são apresentados exemplos concretos, este número sobe para quase nove em cada dez (87%, média europeia 90%), sugerindo que muitos não associam determinadas ações com o combate às alterações climáticas.

Mais de dois terços dos entrevistados em Portugal tentam reduzir os resíduos e separá-los regularmente para reciclagem (68%, média europeia 71%), enquanto mais de metade reduziu o consumo de artigos descartáveis, sempre que possível (55%, média europeia 56%)

Mais de três em cada dez entrevistados compra alimentos produzidos localmente e sazonais, quando possível (31%, média europeia 41%). Esta percentagem caiu 14 pontos percentuais desde a anterior pesquisa em 2015.

Uma esmagadora maioria dos entrevistados considera importante que o governo estabeleça metas para aumentar a quota de energias renováveis utilizadas até 2030 (94%, média europeia, 89%) e forneça apoio para melhorar a eficiência energética até 2030 (93%, média europeia 88%).

Quase nove em cada dez entrevistados concorda que lutar contra as alterações climáticas e utilizar energia mais eficientemente pode impulsionar a economia da União Europeia e o emprego (87%, média europeia 79%), enquanto mais de oito em cada dez concordam que promover competências na UE em novas tecnologias limpas para países terceiros pode beneficiar a UE economicamente (84%, média europeia 77%).

Consulte o Eurobarómetro Especial 459 disponível no website da Comissão Europeia/Opinião Pública.

Mais informações sobre Alterações Climáticas.

 

 

Fonte: Comissão Europeia/EuroBarometro Especial