A A A

28/12/2020

Alentejo quer aumentar taxas de execução de Fundos UE

O novo presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Alentejo quer aumentar a taxa de execução de fundos da União Europeia na região, por forma a legitimar novas reivindicações para o território.

 

“Não podemos exigir do Governo mais verbas para o Alentejo se não tivermos excelentes taxas de execução. E essa é uma tarefa de todos: dos autarcas, das empresas, dos agentes económicos, da academia, das instituições sociais…. Temos de apresentar números que justifiquem esse papel reivindicativo. Até porque temos aí um novo quadro comunitário de apoio”, defendeu António Ceia da Silva na sua recente passagem por Aljustrel.

 

A par desta, o presidente da CCDR do Alentejo, em funções desde final de Outubro, assumiu que “o emprego é outra prioridade” para a sua equipa. “Queremos ajudar ao máximo o tecido empresarial, porque não nos podemos esquecer que esta pandemia travou uma trajectória muito robusta de crescimento económico em Portugal”, disse.

 

Ceia da Silva acrescentou, neste âmbito, ser indispensável “não deixar morrer as pequenas empresas” da região, essencial ao dinamismo económico do território.

 

É por isso que, por parte da CCDR e do Alentejo 2020, a nossa prioridade imediata é apoiar o emprego e as empresas. É para aí que vai estar virado quer o final deste quadro comunitário, quer o início do novo quadro comunitário”, assegurou.

 

 

Fonte: CorreioAlentejo

Tem dúvidas?
outros conteúdos
Partilhe o site PT2020
Conheça o portal do Portugal 2020! Apoiamos o seu investimento. O sucesso do Portugal 2020 é decisivo para o futuro do nosso país.
Topo