A A A

11/02/2021

Projeto AgriFood XXI quer rentabilizar os setores agrícola e alimentar do Norte

A UTAD - Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, lidera o projeto AgriFood XXI que tem um financiamento de 2,4 milhões e quer contribuir para o aumento da rentabilidade e sustentabilidade dos setores agrícola e alimentar.

 

O projeto tem um financiamento de 2,4 milhões de euros e será comparticipado pelo FEDER - Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, através do Programa Operacional NORTE 2020.

 

O AgriFood XXI - Desenvolvimento e Consolidação da Investigação nos Setores Agrícolas e Alimentares do Norte de Portugal, vai ser desenvolvido até 2023 e envolve ainda as universidades do Porto e do Minho.

 

Segundo a UTAD, o objetivo da investigação, é contribuir para o aumento da rentabilidade e sustentabilidade daqueles setores, através da "diminuição do impacto ambiental e da mitigação do impacto do meio ambiente na produção e qualidade dos alimentos".

 

O projeto vai ser apresentado publicamente a 23 de fevereiro, num seminário que se realizará online, tendo como foco as produções agrícolas e indústrias alimentares do Norte do país e vai seguir três linhas de investigação.

 

A UTAD especificou que a primeira linha de investigação se vai dedicar às cadeias agroalimentares resilientes aos constrangimentos climáticos e ambientais. Pretende-se "o desenvolvimento de sistemas de monitorização integrados baseados em elementos climáticos, ambientais, biológicos e químicos, complementados com soluções inovadoras de engenharia, para o desenvolvimento de medidas de adaptação e de mitigação ambientalmente sustentáveis, eco inovadoras e económicas".

 

Num segundo ponto, a investigação vai abordar a temática das tecnologias avançadas para o processamento dos alimentos com vista ao aumento da sua segurança, qualidade, valor nutricional e características sensoriais.

 

Esta linha de investigação tem como objetivo, "o desenvolvimento de tecnologias de processamento de alimentos para a produção de alimentos mais seguros, de melhor qualidade, mais saudáveis e mais convenientes para o consumidor".

 

"Esta tarefa visa também o desenvolvimento de ferramentas para melhorar a rastreabilidade, garantir a autenticidade dos alimentos", acrescentou.

 

Por fim, o projeto quer incentivar a valorização de subprodutos alimentares e agroalimentares das produções agrícolas e indústrias alimentares, explorando esses resíduos como fontes de compostos que exibem uma ampla gama de propriedades químicas e biológicas.

 

O AgriFood XXI vai ser realizado em copromoção com a UNorte.pt, o consórcio que junta a UTAD e as universidades do Porto e do Minho.

 

 

 

Fonte: UTAD

Tem dúvidas?
outros conteúdos
Partilhe o site PT2020
Conheça o portal do Portugal 2020! Apoiamos o seu investimento. O sucesso do Portugal 2020 é decisivo para o futuro do nosso país.
Topo