IFRRU 2020 atinge 704 milhões de investimento em Reabilitação Urbana

O Programa IFRRU 2020 registou nos últimos meses 248 contratos, num investimento de 704 milhões de euros em reabilitação de edifícios e melhoria do seu desempenho energético, anunciou o Ministério das Infraestruturas e Habitação.

 

Em comunicado, o gabinete do ministro Pedro Nuno Santos indica que o IFRRU 2020 - Instrumento Financeiro de Reabilitação e Revitalização Urbana, “aumentou a sua execução nos últimos meses, conseguindo apesar da pandemia COVID-19 chegar aos 248 contratos assinados, num investimento de 704 milhões de euros de investimento para a reabilitação integral de edifícios e melhoria do seu desempenho energético”.

 

 

De acordo com a mesma fonte, após a reabilitação, 105 destes edifícios terão uso habitacional, sendo os restantes 129 destinados a atividades económicas e 14 a equipamentos de utilização coletiva abrangendo equipamentos culturais públicos e sociais e de apoio social bem como residências para estudantes.

 

Na sua maioria (186) os projetos são promovidos por empresas e os restantes por particulares, Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) e Câmaras Municipais, acrescenta o gabinete do ministro.

 

Os projetos em execução localizam-se nas Áreas de Reabilitação Urbana, delineadas pelos respetivos municípios, garantindo-se, assim, o seu alinhamento com a política urbana local, sendo já 74 os municípios das várias regiões do país com financiamentos IFRRU 2020.

 

O Programa IFRRU conta com 27 projetos concluídos, tendo sido prorrogado até 2023 e a Autoridade de Gestão do Programa Operacional Lisboa 2020 reforçado a sua dotação em 10 milhões de euros.

 

O IFRRU 2020 é um instrumento financeiro do Ministério das Infraestruturas e da Habitação, no âmbito do Portugal 2020, e tem uma capacidade de financiamento de 1.400 milhões de euros.

 

 

Fonte: MIH/IFRRU

2020-09-25T00:00:00
Registe-se na Semana Europeia das Regiões e Cidades 2020

Ainda pode participar na 18ª Semana Europeia das Regiões e Cidades 2020 fazendo o seu REGISTO até ao dia 27 de setembro.

 

Este ano, o maior evento de Política Regional da Comissão Europeia realiza-se de 5 a 22 de outubro e destaca a importância das Regiões e dos Municípios na elaboração das políticas da União Europeia.

 

O evento estende-se por três semanas, sendo que a primeira semana decorre de 5 a 9 de outubro e é dedicada ao tema do EMPODERAMENTO DOS CIDADÃOS.

 

A segunda semana, de 12 a 16 de outubro, incide sobre a COESÃO E COOPERAÇÃO.

 

A terceira semana aborda a EUROPA VERDE, de 19 a 22 de outubro.

 

 

 

 

Trata-se de um evento anual durante o qual funcionários das administrações das regiões e dos municípios, bem como peritos e representantes do mundo académico, podem trocar boas práticas e conhecimentos sobre o Desenvolvimento Regional e Urbano.

 

PARTICIPE na 18.ª edição da Semana Europeia das Regiões e Cidades que pretende mostrar a capacidade das cidades e das regiões europeias criarem empregos, implementarem a Política de Coesão da União Europeia, sensibilizando para a importância do contributo dos níveis local e regional na boa governança europeia.

 

Consulte aqui o PROGRAMA e saiba mais no website do EVENTO.

 

 

Fonte: CE-EWRC

 

 

2020-09-25T00:00:00
PO SEUR faz 2ª alteração ao Aviso-Concurso para reutilização de águas residuais tratadas

O PO SEUR – Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no uso de Recursos, procedeu à 2ª alteração ao Aviso-Concurso destinado a ‘Investimentos necessários à reutilização de águas residuais tratadas, com vista a possibilitar uma gestão integrada de recursos hídricos em zonas consideradas de escassez’

 

A versão 1.2 do Aviso-Concurso com o código POSEUR-12-2020-07, agora publicada, contempla as seguintes alterações:

 

 

 

Fonte: Poseur

2020-09-25T00:00:00
CE vai reforçar os mercados de capitais da Europa

A Comissão Europeia (CE) publicou um novo e ambicioso PLANO DE AÇÃO para impulsionar a União dos Mercados de Capitais (UMC) da União Europeia nos próximos anos.

 

Atualmente, a principal prioridade da UE é recuperar da crise económica, sem precedentes, causada pelo coronavírus e para tal, será essencial desenvolver os mercados de capitais da UE e assegurar o acesso ao financiamento do mercado.

 

A criação de grandes mercados de capitais integrados irá facilitar a recuperação da UE, garantindo que as empresas (em especial as pequenas e médias empresas) tenham acesso a fontes de financiamento e que os aforradores europeus se sintam confiantes para investir no seu futuro.

 

O dinamismo dos mercados de capitais também apoiará a transição ecológica e digital da Europa, contribuindo ainda para uma economia mais inclusiva e resiliente.

 

A União dos Mercados de Capitais é igualmente crucial para reforçar o papel internacional do euro.

 

O PLANO DE AÇÃO apresentado tem três objetivos principais:

 

  • Garantir que a recuperação económica da UE seja verde, digital, inclusiva e resiliente, tornando o financiamento mais acessível às empresas europeias e em particular às PME;
     
  • Tornar a UE num lugar ainda mais seguro para as pessoas pouparem e investirem a longo prazo;

 

  • Integrar os mercados nacionais de capitais num verdadeiro mercado único de capitais a nível da UE.

 

Para o efeito, a Comissão apresenta dezasseis medidas específicas para realizar progressos tangíveis rumo à conclusão da UMC.

 

Entre as medidas anunciadas, a UE irá:

 

  • Criar um ponto de acesso único aos dados das empresas para os investidores;
     
  • Apoiar as seguradoras e os bancos para que estes invistam mais nas empresas da UE;
     
  • Reforçar a proteção do investimento para promover o investimento transfronteiras na UE;
     
  • Facilitar o acompanhamento da adequação das pensões em toda a Europa;
     
  • Tornar as regras em matéria de insolvência mais harmonizadas ou convergentes;
     
  • Promover a convergência no domínio da supervisão e a aplicação coerente do conjunto único de regras para os mercados financeiros na UE.

 

Estas medidas baseiam-se nos progressos realizados no Plano de Ação para a UMC de 2015 e na revisão intercalar de 2017 e seguem os apelos do Parlamento Europeu (projeto de relatório de iniciativa (INI), junho de 2020) e do Conselho (conclusões do Conselho, 5 de dezembro de 2019).

 

São também alimentadas por debates aprofundados com as partes interessadas e pelas recomendações do Fórum de Alto Nível sobre a União dos Mercados de Capitais.

 

Ligações úteis:

 

| Perguntas e Respostas
 

| Ficha informativa
 

| Mais informações sobre a União dos Mercados de Capitais

 

 

Fonte: CE Portugal

2020-09-25T00:00:00
A 26 de Setembro celebra-se o Dia Mundial do Mar

Todos os anos, o dia 26 de setembro é mundialmente dedicado ao Mar e o Programa Operacional MAR 2020 celebra este dia com a publicação de um novo número da sua Newsletter

 

Subscreva a Newsletter e seja o primeiro a conhecer as novidades e os resultados já alcançados pelo MAR 2020 para o desenvolvimento de toda a fileira do sector das Pescas, incluindo Pescas, Aquacultura e Transformação do pescado.

 

Consulte aqui todas as edições desta publicação.

 

 

Fonte: Mar2020

2020-09-25T00:00:00
Alentejo e Algarve apostam na Gestão Integrada da Água

Os Conselhos Regionais do Algarve e do Alentejo aprovaram as suas Estratégias de Desenvolvimento Regional para a próxima década, apostando no desenvolvimento conjunto de uma Intervenção Territorial Integrada em torno dos desafios da água (ITI Água) para as duas regiões do sul de Portugal.

 

Presente nos dois encontros, nos passados dias 11 e 14 de setembro, a Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, salientou a importância da disponibilidade hídrica e sobretudo da sua gestão. A água é sempre um recurso a analisar de forma responsável, que exige usos adequados nos diferentes setores de atividade, sendo imprescindível geri-lo criteriosamente, tanto ao nível da oferta como da procura

 

Há que encontrar formas de captação da água alternativas, mas também preparar os setores para práticas mais sustentáveis e eficientes, exemplificando a governante com o que se faz na agricultura de precisão.

 

Ana Abrunhosa concluiu que estamos perante de um recurso que é absolutamente determinante nestes territórios, e por isso, as duas estratégias espelham muito bem aquilo que são as preocupações regionais a este respeito e, portanto, fará todo o sentido termos projetos e abordagens conjuntas dedicados a essa temática”.

 

Sendo possível desenhar novos instrumentos de planeamento e intervenção, com geometrias variadas e com capacidade de mobilizar verbas e tipologias dos vários Objetivos de Política definidos pela Comissão Europeia, as regiões devem e podem, com base na abertura do Objetivo de Política 5 – uma Europa mais próxima dos cidadãos, ousar e equacionar fazer diferente, cruzando dimensões experimentais e não formais, para as quais importa encontrar espaço de diálogo e, sobretudo, tomadores diligentes que sejam capazes de implementar um modelo de governança assente em novas geografias, em função de velhos e novos desafios, para a promoção da coesão territorial.

 

Neste contexto, a ITI Água proposta em ambas as Estratégias Regionais do Algarve e do Alentejo, visa promover ações concertadas de aumento da resiliência dos ecossistemas aos efeitos das alterações climáticas, associando a proteção e valorização dos corredores ecológicos, a redução ou minimização de vulnerabilidades e riscos resultantes de fenómenos extremos.

 

Visa também a promoção de intervenções e atividades económicas sustentáveis, pela gestão eficiente no uso da água, pela otimização e eficiência nos sistemas de captação e distribuição, e pela promoção da reutilização de águas residuais, assegurando o bom estado ecológico das massas de água.

 

A disponibilidade hídrica centra uma parte considerável da discussão a 10 anos, pelo que a ITI Água deverá contribuir para promover e atrair investimento inovador e demonstrador, coincidente com as especificidades e as atividades predominantes nos territórios das sub-regiões abrangidas, valorizando e densificando as cadeias de valor dos recursos e/ou produtos locais, através da incorporação de fatores de inovação que estimulem a promoção e atraiam novos residentes, qualificados e empreendedores, para reverter os graduais processos de perda registados.

 

Numa gestão inovadora potenciam-se abordagens temáticas, inter-regionais e transfronteiriças que, per si, respondam aos desafios societais, permitindo ganhar escala e eficiência, contribuindo para aumentar níveis de desempenho e de convergência e potenciando um modelo de gestão baseado em dimensões de plurifundo, promotoras de perceções e aferição dos impactos das políticas públicas a escalas diferenciadoras, eventualmente mais próximas e consentâneas com as especificidades locais, supramunicipais, intra e inter-regionais.

 

Francisco Serra e Roberto Grilo, presidentes da CCDR Algarve e CCDR Alentejo, congratulam-se com a adesão da Ministra da Coesão Territorial a esta causa, elevando assim, um desígnio regional conjunto, a uma preocupação do governo de Portugal, aumentando o compromisso das duas regiões para afirmar este território como um espaço de descoberta, inovação e implementação de medidas que sejam inspiradoras para todo o país e para a própria Europa.

 

 

Fonte: Alentejo2020

2020-09-24T00:00:00
Portugueses vencem Prémios Horizonte 2020

Maria Fátima Lucas e o projeto INVISIBLE, ambos portugueses, são dois dos distinguidos anunciados recentemente no decurso das Jornadas Europeias da Investigação e Inovação.

 

Maria Fátima Lucas, cofundadora e diretora executiva da Zymvol Biomodeling, uma empresa que desenvolve, por via informática, enzimas industriais aplicando uma modelização molecular, está entre as quatro vencedoras da edição do Prémio da UE para Mulheres Inovadoras de 2020.

 

O prémio é financiado ao abrigo do Horizonte 2020, o Programa de Investigação e Inovação da União Europeia.

 

Já o projeto INVISIBLE da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova, coordenado pela cientista Elvira Fortunato, é um dos projetos vencedores da segunda edição do Prémio Horizon Impact dedicado a projetos financiados pela UE que tenham criado um impacto societal em toda a Europa e mais além.

 

Este projeto desenvolveu o primeiro ecrã transparente, dando origem a uma nova área tecnológica, com inúmeras aplicações numa vasta gama de indústrias. Ser pioneiro europeu neste domínio é um exemplo de liderança científica verdadeiramente global.

 

Assista aqui aos VÍDEOS dos vencedores.

 

PRESIDENTE DA REPÚBLICA FELICITA ELVIRA FORTUNATO

 

Também o Presidente da República felicitou a cientista Elvira Fortunato pelo Prémio Horizon Impact da Comissão Europeia, o qual reconhece um trabalho inovador e de grande significado na área dos materiais.

 

Este prémio enaltece ainda mais uma carreira por todos reconhecida como pioneira e notável, mostrando a importância da investigação fundamental e da sua capacidade para dar contributos de grande significado para múltiplas áreas económicas e sociais.

 

O Presidente Marcelo Rebelo de Sousa aproveitou para felicitar todos os colaboradores da Professora Elvira Fortunato e todas as instituições que a apoiaram ao longo dos anos, salientando o significado do prémio enquanto reconhecimento da ciência portuguesa e da afirmação do papel das mulheres cientistas.

 

 

Fonte: CE/PresidenciaRepública

2020-09-24T00:00:00
Programa ESCOLHAS renovado para 2021/2022

Foi aprovada aprova a 8.ª geração do Programa ESCOLHAS, para o período de 2021 a 2022, através da Resolução do Conselho de Ministros n.º 71/2020, publicada em Diário da República no dia 15 de setembro.

 

A renovação agora aprovada amplia a missão e a abrangência do ESCOLHAS, passando a visar a integração social de crianças, a igualdade de oportunidades na educação e no emprego, o combate à discriminação social, a participação cívica e o reforço da coesão social, assim como a destinar-se a todas as crianças e jovens, particularmente as provenientes de contextos com vulnerabilidade socioeconómica.

 

Além disso, a inclusão digital e a promoção da saúde passam a integrar as áreas estratégicas de intervenção do Programa ESCOLHAS nesta 8.ª geração.

 

As três medidas passam a ser:

 

MEDIDA 1 - Educação, Inclusão Digital, Formação e Qualificação

MEDIDA 2 - Emprego e Empreendedorismo  

MEDIDA 3 - Dinamização Comunitária, Saúde, Participação e Cidadania

 

Consulte AQUI:

 

| Resolução do Conselho de Ministros n.º 71/2020Aprova a 8.ª geração do «Programa Escolhas», para o período de 2021 a 2022

 

 

 

Fonte: Escolhas/DRE

 

2020-09-24T00:00:00
Webinar sobre Inovação no Turismo algarvio

No próximo dia 30 de setembro, realiza-se um webinar sobre ‘Inovação no Turismo - Da Transição Digital ao Destino Inteligente’  para debater as oportunidades e os desafios à Inovação na área da Digitalização do setor do Turismo no Algarve, de forma a melhorar a sua competitividade.

 

O evento online é promovido pela CCDR Algarve - Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve, em articulação com a Comissão Europeia

 

Com uma segunda parte agendada para 8 de outubro, este exercício participativo conta com a participação de vários atores relevantes do território (empresários, investigadores, gestores públicos) e será realizado por videoconferência, através da plataforma virtual Microsoft Teams.

 

Consulte aqui o PROGRAMA e efetue a sua INSCRIÇÃO.

 

 

 

Fonte: CCDRAlgarve

 

2020-09-24T00:00:00
Região Centro tem pela primeira vez mais de 100 empresas Gazela

A região Centro conta, pela primeira vez, com mais de uma centena de empresas Gazela. São 112 empresas jovens que, num curto período de tempo, apresentam um crescimento acelerado no emprego e no volume de negócios.

 

Trata-se de uma reduzida percentagem do universo das empresas, presentes em todos os setores de atividade e diferenciando-se, também, pelo seu posicionamento nos mercados e pela sua capacidade de gestão e de risco.

 

De acordo com o ESTUDO efetuado pela CCDRC - Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro, que pelo oitavo ano consecutivo faz este apuramento, destas 112 empresas gazela na região Centro destacam-se os seguintes aspetos:

 

•    O número de empresas Gazela identificadas na região Centro aumentou (18%) face ao ano de 2018, passando de 95 para 112 empresas em 2019;
 

•    Estas empresas têm um elevado potencial para gerar novos de postos de trabalho, tendo triplicado as pessoas ao serviço entre 2015 e 2018, passando de 1261 trabalhadores para 3490 trabalhadores;
 

•    O volume de negócios cresceu cerca de 16 vezes entre 2015 e 2018, pois faturaram 79 milhões de euros em 2015 e 1248 milhões de euros em 2018;
 

•    Metade (55% do total) das 112 empresas Gazela apresentavam valores de exportações. O total de exportações destas empresas somava cerca de 88 milhões de euros, em 2018, o que representava, em termos médios, 7% do volume de negócios;

 

•    Um quarto destas empresas desenvolve as suas atividades no setor da construção que, em conjunto com as indústrias transformadoras (23%) e o comércio (19%), representam 67% das empresas Gazela da região;
 

•    Em termos de distribuição geográfica estão bastante disseminadas pelo território, repartindo-se por 42 municípios da região Centro, sendo os concelhos de Leiria (14), Coimbra (9) e Aveiro (8) os que têm um maior número, seguidos pelos municípios de Torres Vedras (7), Ourém (6), Caldas da Rainha e Alenquer (com 5, cada). Com quatro empresas gazela, encontram-se três municípios: Albergaria-a-Velha, Estarreja e Lourinhã. Os municípios da Figueira da Foz, Ílhavo, Ovar, Vagos e Viseu apresentam três empresas Gazela cada. Em termos sub-regionais, destacam-se os territórios correspondentes às NUTS III da Região de Aveiro (29), do Oeste (25), da Região de Coimbra (21) e da Região de Leiria (19);
 

•    Metade das empresas Gazela apuradas foram constituídas nos anos de 2014 (23%) e 2015 (27%);
 

•    No final de 2019, 68% das empresas Gazela que se candidataram aos Sistemas de Incentivos do Portugal 2020 estão já a ser apoiadas, num total de 44 projetos (40 dos quais no Centro 2020), que representam 43 milhões de euros de investimento e 17 milhões de euros de incentivo.

 

Consulte aqui o ESTUDO completo, com a listagem das empresas.

 

 

Fonte: Centro2020

2020-09-24T00:00:00
Tem dúvidas?
outros conteúdos
Partilhe o site PT2020
Conheça o portal do Portugal 2020! Apoiamos o seu investimento. O sucesso do Portugal 2020 é decisivo para o futuro do nosso país.
Topo